CONSULTORIA AMBIENTAL

                                                                     

  • Análise de caracterização ATMOSFÉRICA de aterros sanitários , caldeiras, gases fugitivos, chaminés, dutos industriais e fornos para automonitoramento                       

  • Gases  -  CO - C02 - H2S  CH4  CH3 LIE LIS 

  • Coleta e análise técnica de efluentes líquidos, pastosos  e  hidrocarbonetos Conama 256/2013 CEMA 84/12 , CEMA 081/2010, 430/2011, 357/2005

  • Análise  de chorume em aterros sanitários Conama 054/2006

  • Análise técnica para caraterização de hidrocarbonetos, Agrotóxicos do solos por infiltração por amostragem de acordo com Conama 420/2011 .

  • Análise de água solução alternativa para consumo Humano Portaria MSG MS Nº 888, DE 2021

  • Análise de poço artesiano para outorga 

  • Descarte de efluentes industrial na rede coletora de água e esgoto, aguas superficiais e por infiltração

  • Análise da qualidade do ar interno resolução 09 de 2003 

  • Continuação da Portaria n° 256/2013/IAP/GP fl04.

    § 2º. Para as ETE´s (Estações de Tratamento de Esgoto Sanitário) ficam estabelecidas as seguintes frequências para coleta e análises dos parâmetros conforme listados no quadro abaixo:

    PARÂMETROS CLASSE
    A B C
    Vazão Trimestral Bimestral Quinzenal
    Temperatura Trimestral Bimestral Quinzenal
    PH Trimestral Bimestral Quinzenal
    DQO Trimestral Bimestral Mensal
    DBO5 Trimestral Bimestral Mensal
    Sólidos Sedimentáveis Trimestral Bimestral Mensal
    Sólidos Suspensos Totais Trimestral Bimestral Mensal
    Nitrogênio Amoniacal Trimestral Bimestral Mensal
    Fósforo Total Trimestral Bimestral Mensal

    Art. 6° - Os parâmetros considerados como específicos da atividade são definidos de acordo com a tipologia industrial ou atividade, são determinados pelo IAP quando da inclusão do empreendimento ou atividade no Sistema de Licenciamento Ambiental.

    Art. 7° - Os responsáveis por empresas geradoras de efluentes líquidos de qualquer natureza, cujo lançamento ocorra em regime de lançamento descontínuo ou de batelada, deverão informar ao IAP, quando da apresentação da Declaração de Carga Poluidora, a vazão, data e período dos lançamentos.

    Art. 8° - Os efluentes a serem lançados em regime descontínuo, por batelada ou reciclo total do efluente final, deverão ser armazenados em um tanque pulmão, para posterior tratamento e lançamento no corpo hídrico, em regime de vazão constante, não devendo ultrapassar 1,5 vezes a vazão média do período de atividade diária, atendendo aos critérios estabelecidos no artigo 16, da Resolução CONAMA nº 430/2011.

    Parágrafo único. O tanque pulmão citado no caput deste artigo não poderá ultrapassar o volume de 5 m3.

    Art. 9° - A avaliação da Toxicidade deverá atender os critérios da Resolução CEMA 081/2010.

    Art. 10 – Para a determinação da DBO5 de sistemas de tratamento com lagoas de estabilização a amostra do efluente não deverá ser filtrada.

    Art. 11 - O IAP e ÁGUASPARANÁ poderão solicitar, em qualquer tempo, a apresentação dos documentos em meio físico e digital.

                                                                                                                                              

193931-entenda-a-importancia-do-tratamento-de-efluentes-industriais.jpg
238e2d55-636b-44e3-899c-4a79bdf1791e.jpeg
images.jpg
1098938_289913.jpg
EFLUENTES INDUSTRIAIS E DOMÉSTICO
TERRA - SOLO - MAR
ÁGUAS SUBTERANEAS E SUPERFICIAIS
GÁSES ATM  E AR 
jovem-tecnologia-feminina-ou-cientista-r